Quase 100 pessoas já morreram de febre amarela no Brasil

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (7) um boletim atualizado com os números da febre amarela no país. O número de casos confirmados subiu para 353, bem maior do que o divulgado na semana passada, quando o país tinha 213 casos confirmados. São 140 pessoas diagnosticadas com a febre amarela em uma semana. Outros 423 casos continuam em investigação.
O número de mortes também subiu. Agora são 98 vítimas confirmadas da doença. Na semana passada eram 81. Em uma semana, 17 pessoas morreram, uma média de mais de duas pessoas por dia.

Os casos se concentram, principalmente, no estado de São Paulo, que de acordo com o Ministério da Saúde, já confirmou 108 casos da doença e 43 mortes desde julho do ano passado.
Os números são diferentes dos divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde, que afirma que desde o ano passado, 163 casos e 61 mortos. Essa diferença acontece porque a secretaria começou a contagem em janeiro de 2017.
As cidades paulistas com o maior número de casos são Mairiporã, Atibaia, Amparo, Monte Alegre e Nazaré Paulista.
O segundo estado com o maior número de casos é Minas Gerais, onde 77 pessoas foram infectadas com o vírus e 30 morreram. De acordo com a Secretaria Estadual de saúde, as cidades com o maior número de vítimas são Mariana, Nova Lima, Brumadinho, Rio Acima e Caeté.
O estado do Rio de Janeiro também chama a atenção pelo número de vítimas. Desde julho do ano passado, já foram 27 casos confirmados e 7 mortes.
No RJ o número é menor porque, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a campanha de vacinação contra a doença no estado começou no início do ano passado, quando os primeiros casos apareceram. Além disso, em muitas cidades a vacina faz parte do calendário de vacinação.
As cidades cariocas com o maior número de casos são Valença, Teresópolis, Sumidouro, Nova Friburgo e Rio das Flores.
Até o momento, o Distrito Federal registrou um caso e uma morte causada pela febre amarela.
Fonte: R7
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário