Em aúdio: Vítima provoca policial após briga por cuspe em Samambaia


Uma briga de vizinhos começou pelo WhatsApp e terminou pessoalmente, com tiros à queima-roupa, na noite de ontem, em Samambaia. O funcionário do Banco do Brasil Adilson Santana, 37 anos, foi morto pelo morador do apartamento abaixo ao dele. A suspeita recai sobre um policial militar da reserva, que, permanecia foragido até a publicação desta matéria.


O crime ocorreu no condomínio Portal do Sol, por volta das 18h. Segundo uma moradora, os dois envolvidos começaram a discussão no aplicativo porque o suspeito reclamou do comportamento da vítima – Adilson foi acusado de ter cuspido, após escovação, na varanda do PM. Após trocarem farpas por escrito e em áudio, a vítima “desafiou” o militar aposentado a subir até o apartamento dele para tirar satisfações.
O suspeito foi ao local e a briga começou. A testemunha diz que Adilson teria conseguido derrubar o policial, que, ao se levantar, desferiu dois tiros: um pegou na porta e o outro atingiu o peito da vítima, que faleceu minutos depois. “Eu fui a segunda pessoa a chegar ao apartamento dele, mas ele não estava mais respondendo”, relata. Uma enfermeira e um brigadista tentaram reanimá-lo, mas já era tarde.
De acordo com a moradora, esta não é a primeira briga em que o acusado se envolve. “Ele é muito nervoso. Cheio de encrenca”, denuncia. Adilson deixa esposa, com quem era casado há três anos, e um filho de três meses. A mulher foi encaminhada à 26ª DP (Samambaia) como testemunha, pois viu parte do ocorrido e poderia ter sido atingida se não tivesse saído rapidamente de perto do companheiro.
A 26ª DP está no encalço do policial, que já teria sido identificado. Por nota, a PM informou aguardar mais informações sobre a identidade do envolvido, pois o paradeiro dele é desconhecido. “A culpa só será atribuída depois de investigação da Polícia Civil”, completa.
No vídeo ao lado mostra o Áudio de  Adilson Santana falando com o policial aposentado e chamando ele para um confronto.
"Adilson respondeu as acusações questionando se o vizinho estava ficando “maluco” e pedindo respeito. “Me respeite, que educação eu tenho. Não vou escovar porra de dente em varanda”, revidou. Na sequência, segundo testemunhas, o militar foi até a casa de Adilson, onde foi recebido com um soco. O aposentado caiu e sacou a arma, atingindo o homem com pelo menos quatro disparos.

Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário