MP questiona condições de funcionamento de hospital acoplado ao HRSAM




A força-tarefa de acompanhamento à Covid-19 do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) requisitou à Secretaria de Saúde do DF esclarecimentos sobre o funcionamento do hospital acoplado construído como extensão do Hospital Regional de Samambaia (HRSam).

Foram constatados problemas na inspeção realizada pelo MPDFT em 17 de maio, em especial quanto ao número de leitos que podem efetivamente ser disponibilizados para o adequado funcionamento da nova unidade.

Em ofício enviado nessa terça-feira (25/5), a força-tarefa listou as adequações necessárias para o funcionamento do local. Conforme o MPDFT, o hospital acoplado tem 100 pontos de oxigênio, mas isso não significa necessariamente a possibilidade de abertura do mesmo número de leitos. Para isso, é necessário atender requisitos como a acessibilidade e a disponibilização de sala de prescrição. A SES deverá avaliar a quantidade efetiva de leitos que podem ser disponibilizados.

Além disso o Ministério Público aponta que não existem, na estrutura do hospital acoplado, salas para atendimento de urgências e emergências. “Diante do aumento do número de leitos, é preciso uma ampliação compatível com a nova demanda. Com a vistoria, verificamos a necessidade da adoção de providências na estrutura e a designação de recursos humanos”, ressalta relatório do MPDFT.

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário