Mulher atacada em Samambaia: “Diz aos meus filhos que os amo. Estou morrendo”




 Moradores de Samambaia testemunharam um crime violento na tarde dessa quarta-feira (14/4). Eles viram o momento em que uma mulher de 36 anos se jogou de um carro para escapar das agressões do companheiro. O autor ainda efetuou disparos contra a vítima e ameaçou os pedestres que tentaram socorrê-la. O acusado acabou preso pouco depois por policiais do 11º Batalhão da PMDF, por tentativa de feminicídio.

Segundo uma testemunha, que estava em um quiosque próximo ao local do crime, um ix35 da Hyundai passou em alta velocidade na pista, sentido Taguatinga. Ela ouviu uma gritaria no interior do carro e, após alguns minutos, visualizou uma mulher caída ao chão.

No primeiro momento, chegou a pensar que se tratava de atropelamento de pedestre. Ele, então, foi em direção ao local onde estava a mulher. Outras pessoas também correram para ajudar. Ao se aproximar da vítima, a testemunha deparou-se com um homem armado.

A testemunha chegou a gritar: “Parado aí, vagabundo”. O suspeito, então, ao ver a aglomeração de pessoas, efetuou um disparo, entrou no carro, deu outro tiro para cima e falou: “Não chega perto, não!”. Um outro jovem também viu o momento em que a mulher foi ameaçada pelo companheiro.

O rapaz explicou que a vítima estava sangrando no chão quando correu para ajudá-la. Ele chegou a falar com o acusado, pediu para ele parar, mas o agressor atirou na direção da testemunha, atingida de raspão na cabeça. “Uma mulher que havia acabado de descer do ônibus chegou a me abraçar para se proteger. Todos ficaram assustados, mas conseguimos cercá-lo. Ele acabou entrando no carro e fugiu, atirando para o alto”, detalhou.

O motorista de um ônibus anotou a placa do veículo usado pelo suspeito e acionou a PM. “Acredito que ela certamente seria morta se não fosse a intervenção de todos que presenciaram o fato. Quando me aproximei, ela pediu para enviar uma mensagem aos filhos, para dizer que ela os ama e que estava morrendo”, lembrou a testemunha.

Ao ser abordado pelos policiais, o agressor saiu do carro com as mãos para o alto e disse: “Perdi, perdi”. Os militares não encontraram a arma de fogo no veículo. Quando questionado, o autor confessou que, ao ver o veículo da corporação, arremessou o revólver pela janela.

O investigado alegou que o casal estava brigando dentro do carro quando a mulher se jogou para fora do veículo. Ele afirmou, ainda, que pegou a arma para se defender das pessoas que vieram em sua direção. E negou ter atirado na mulher.

Na delegacia, a irmã da vitima revelou que presenciou o momento em que o autor efetuou disparo de arma de fogo no interior da residência onde elas estavam, em Samambaia. Depois, o casal de carro.

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário