Saúde do DF cobra de hospitais informações sobre óbitos por Covid-19




Embora já contabilize quase 2 mil mortes relacionadas à infecção por Covid-19, os números de óbitos durante a pandemia da doença no Distrito Federal podem ser maiores. Documento interno da Secretaria de Saúde obtido com exclusividade pelo Metrópoles revela que pelo menos 11 unidades locais estão, desde junho, sem notificar regularmente os casos terminais suspeitos ou confirmados em decorrência do Sars-Cov-2.
DROGARIA DO TRABALHADOR


O alerta foi emitido no fim do mês de julho pela Gerência de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e de Transmissão Hídrica e Alimentar, setor ligado à Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde.
De acordo com o relatório, esses centros listados “não estão seguindo o fluxo estabelecido para as notificações dos óbitos suspeitos ou confirmados de Covid-19 ou Síndrome Respiratória Aguda Grave”.
Segundo informa o texto, do total, pelo menos cinco unidades são diretamente ligadas à pasta: Hospital Regional de Planaltina, Hospital Regional de Sobradinho, Hospital do Guará, Hospital São Vicente de Paula e Hospital da Criança José Alencar.
Este último, especializado em tratar crianças e adolescentes com câncer, informou à reportagem que desde a chegada do novo coronavírus à capital do país não houve registros de óbitos pela doença na unidade especializada e, portanto, não há o que se notificar à SES-DF.


O Hospital Regional de Planaltina determinou que as áreas responsáveis “se adequem às recomendações” do órgão.
Da rede privada, figuram no documento do GDF o Hospital Santa Marta, o Hospital Albert Sabin (608 Norte), o Hospital Clínicas e Fraturas, o Hospital Águas Claras e o Hospital Sarah.


Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário