Vinte dias após comércio abrir, mortes por Covid-19 aumentam 84% no DF




Na contramão do Brasil, que terminou pela primeira vez uma semana epidemiológica com menos óbitos que a anterior, o Distrito Federal viu a estatística aumentar segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde e pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).
Os números analisados pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, mostram que a capital do país, entre os dias 31 de maio e 6 de junho (semana 23), contabilizou 46 novas mortes. Nos sete dias posteriores, a doença fez 85 vítimas, um aumento de 84,7%.
O período coincide com a flexibilização nas medidas para evitar o contágio da Covid-19. No dia 25 de maio, depois de 76 dias fechado, parte do comércio de rua reabriu. Dois dias depois, os shoppings receberam o aval para retomar o funcionamento.
Antes disso, o DF tinha presenciado uma pequena queda. Da semana 22 – do dia 24 ao dia 30 de maio – para a 23, houve redução de 31,3% das mortes, saindo de 67 para 46.


Para Jonas Lotufo Brant de Carvalho, professor do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília, o aumento era previsto e tende a piorar. “O impacto das mortes não é visto de maneira imediata. Temos a incubação, a manifestação da doença e todo um caminho até a possível morte. Com as medidas de flexibilização, é provável que ainda teremos um aumento nas próximas semanas”, explicou.



Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário