PCDF tenta identificar mulher que pediu corrida para que criminosos pudessem assaltar motorista de aplicativo em Samambaia



A Polícia Civil do DF investiga a morte de um jovem, de 18 anos, que teria sido baleado por um PM da reserva, 50, que trabalha como motorista de aplicativo. Em depoimento, o militar disse que reagiu a um assalto.



Segundo a versão do policial, ele foi chamado para atender uma mulher, em Samambaia, na noite dessa quarta-feira (21/08/2019). Contou que ao chegar no local, três rapazes entraram no carro. A mulher teria dito que solicitou a corrida para os primos. No destino final da corrida, o trio pediu que o motorista fosse para outro local, ermo e escuro.
Lá, teriam anunciado o assalto e o ameaçado com uma faca. A vítima foi golpeada nas costas. O homem relatou que um dos adolescentes, aparentando ser menor, dizia toda hora “mata ele logo”. Na versão contada pelo policial militar, temendo pela própria vida, ele aproveitou o momento em que o trio planejava colocá-lo no porta-malas, pegou a arma que guardava entre o banco e a porta e reagiu. Ele atirou seis vezes.


Os disparos atingiram dois jovens. O de 18 anos morreu no local. O outro foi levado para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT). O terceiro passageiro fugiu, mas em seguida foi capturado pela Polícia Militar. O caso está sendo investigado pela 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia).
Segundo a Polícia Civil, a arma de fogo foi apreendida. Um dos adolescente foi capturado e autuado em flagrante pela prática do ato infracional análogo ao delito de roubo circunstanciado tentado.

O Terceiro suspeito, um adolescente de 17 anos, foi apreendido e levado para Núcleo de Atendimento Integrado (NAI). Ao G1, o delegado Pedro Luis de Moraes, da 32ª DP, disse que, até a última atualização desta reportagem, a polícia tentava identificar a mulher que fez o chamado da corrida ao motorista de aplicativo.


Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário