Sábado de carnaval foi cheio de animação em Samambaia



O carnaval em Brasília teve diversas opções de folia por toda parte. Mais de 12 eventos apoiados pela Secretaria de Cultura (Secult/DF) fizeram a festa dos foliões neste sábado (2). Além dos tradicionais blocos, o projeto Carnaval Social levou capacitação e diversão a regiões como Varjão, Estrutural e Samambaia.


A festa começou cedo em Samambaia, onde  a administração regional ofereceu oficinas de DJ e cursos de informática, capacitando 85 pessoas. Quem passou por lá também teve acesso a um mutirão de prestação de serviços do GDF, com postos do Conselho Tutelar, da Delegacia da Mulher e da Secretaria de Saúde. À tarde, 23 artistas animaram o evento com hip hop, funk, samba e dança.
No Lago Norte, o Carnaval Social também levou atividades à prainha do Varjão. Houve oficina de DJ e um enorme palco com vista para o lago Paranoá onde diversos artistas de apresentaram durante toda a tarde.
Blocos
No Plano Piloto, os bloquinhos protagonizaram a maior parte da festa. O Rejunta meu Bulcão, no Setor Bancário Norte, atraiu foliões pelo sexto ano seguido. A estrutura montada no local agradou os presentes, que elogiaram a organização.
Na quadra 404 Norte, a animação ficou por conta do Concentra mas não Sai, com muito samba. No local, famílias e grupos de amigos se divertiram o tempo todo. A servidora pública Clara Mousinho, que saiu pelo segundo ano seguido, brincava com o marido, Henrique, e o filho Pedro, de três meses. “Aqui é muito animado e seguro”, elogiou. “Ficamos felizes em poder trazer nosso bebê com tranquilidade”.
O destaque do dia ficou com o tradicional bloco Babydoll de Nylon, que levou milhares de pessoas ao Setor Carnavalesco do Estádio Nacional. O secretário de Cultura, Adão Cândido, acompanhou a festa junto ao governador em exercício, Paco Britto.
Eles conferiram toda a estrutura do local, que, projetado para receber os blocos de megaporte, conta com banheiros, alimentação e serviços do GDF – como postos dos Bombeiros, Polícia Militar e Delegacia de Atendimento à Mulher, que reforçou a campanha “Eu sou do Bloco do Respeito”, com alertas para o assédio e importunação sexual.  “A organização do bloco foi essencial para que tudo transcorresse com tranquilidade”, resumiu o secretário.
Com informações da Secult/DF
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário