Pobreza avança no país e atinge um em cada quatro brasileiros

DENTISTA
Mais de um quarto da população brasileira atravessou o ano de 2017 abaixo da linha da pobreza, com ganhos de cerca de R$ 406 por mês.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a situação cresceu 0,8 ponto percentual na comparação com 2016 e afetou 55 milhões de pessoas no ano passado — 26,5% do total de 208 milhões de habitantes do país.

Também aumentou, entre 2016 e 2017, o percentual de pessoas com rendimento domiciliar per capita inferior a US$ 1,90 por dia (cerca de R$ 7), valor configurado como extrema pobreza global. A faixa de renda é sugerida para países de baixa renda e aqueles marcados por conflitos recentes, como Afeganistão, Haiti e Síria.

"Ainda que haja discussões sobre diversas linhas de corte, de acordo com a classificação de renda dos países, o valor de US$ 1,90 diários per capita em PPD (Paridade de Poder de Compra) é atualmente o limite para a definição de extrema pobreza global", explica o IBGE.
Em 2016, o estudo mostrava 6,6% da população abaixo desta linha. O número avançou para 7,4% no ano passado e passou a atingir mais de 15 milhões de brasileiros. De acordo com as informações, a pobreza no Brasil atinge mais as crianças e adolescentes de até 14 anos e a homens e mulheres pretos ou pardos.
Regiões
Na análise dos 55 milhões de indivíduos com renda inferior a US$ 5,50 diários por regiões, quase metade deles (44,8%) estão localizados no Nordeste do pais. A área responde também pelo maior percentual de sua população com renda inferior à utilizada na definição de pobreza.
O percentual de pessoas na linha da pobreza também cresceu na passagem de 2016 para 2017 nas regiões Sul e Sudeste. Por outro lado, os Estados localizados no Norte e Centro-Oeste do país viram o percentual de moradores cair no período.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário