Evangélicos ganham cargos de destaque no primeiro escalão de Ibaneis


Líderes e representantes evangélicos conquistaram posições estratégicas dentro da formatação do governo de Ibaneis Rocha (MDB), que se inicia em 1º de janeiro de 2019. Pelo menos cinco representantes da religião vão ocupar assentos no primeiro escalão do emedebista, o que representa quase 10% do time de ponta da próxima gestão. Os escolhidos terão papel importante em áreas sensíveis do governo.
Deputado federal licenciado, o bispo Vitor Paulo (PRB) assumirá a pasta de Relações Institucionais do GDF. A área cuidará de todo o relacionamento do governo com outros Poderes e também com Executivos estaduais, além de entidades de representação.
Deputado distrital não reeleito, bispo Renato Andrade (PR) cuidará da Articulação Parlamentar. Será dele a responsabilidade de trabalhar, junto aos deputados distritais da próxima legislatura, a aprovação de matérias na Câmara Legislativa de interesse do governo de Ibaneis.
Ex-chefe de gabinete do governador José Roberto Arruda (PR), Eduardo Zaratz será secretário de Desenvolvimento Social. Embora seja servidor efetivo do Ministério Público da União (MPU), o ex-presidente do Partido Verde em Goiás é reconhecido como um forte articulador dos evangélicos nas funções as quais já exerceu.
Tecnologia
Outra área de destaque, a Secretaria de Ciência e Tecnologia terá o comando de Gilvan Máximo. Ligado ao PRB, da Igreja Universal do Reino de Deus, o futuro titular da pasta terá a missão de concretizar uma das principais promessas do governador emedebista: modernizar e agilizar os serviços públicos, além de instalar e integrar as pastas com tecnologia inovadora. A internet gratuita para o cidadão também terá a participação de Máximo.
Ex-presidente do Conselho de Pastores Evangélicos do Distrito Federal (Copev-DF), Chancerley Santana foi confirmado para assumir a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB). Formado em marketing e pós-graduado em gestão pública, o indicado é filiado e tem as bênçãos do PRB.
A TCB tem por objetivo a exploração dos serviços de transportes coletivos urbanos na área do Distrito Federal. Atualmente, atua na região do Plano Piloto, com linhas circulares e ligando o Aeroporto de Brasília à área central da cidade.
A grande representatividade dos nomes ligados à igreja tem uma justificativa. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os evangélicos já representam mais de um quarto da população do DF (26,8%), ou seja, mais de 800 mil pessoas.
Segundo turno
No DF, os líderes e representantes das igrejas evangélicas aderiram à campanha do então candidato Ibaneis Rocha, hoje governador eleito, apenas no segundo turno das eleições.
No primeiro turno, o PRB integrou a composição de Rogério Rosso (PSD), que ficou em terceiro lugar na disputa pelo GDF. Já Bispo Renato integrou a coalizão liderada por Alberto Fraga (DEM), sexto lugar na corrida ao Palácio do Buriti.
Na Câmara Legislativa, embora tenha reduzido o número de evangélicos, a tradicional bancada ainda contabiliza um número considerável: dos nove parlamentares religiosos da atual legislatura, o grupo terá seis integrantes a partir de 1º de janeiro, o que representa um quarto da composição da Casa.

FONTE METROPOLES
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário