Escritório diplomático de Taiwan doa recursos a quadrilhas juninas de Samambaia


As palavras de agradecimento foram inúmeras, a felicidade era nítida em cada olhar, e o principal sentimento, o de gratidão, pairava no ar. Foi exatamente com esse misto de emoções, que a quadrilha junina campeã da Liga Independente de Quadrilhas Juninas do Distrito Federal e Entorno, Si Bobiá a Gente Pimba e o Instituto Cultural Amigos do Bem, fundado pelo grupo junino Pau Melado, receberam doação em dinheiro da Embaixada de Taiwan em parceria com o Correio Braziliense. A entrega foi feita pessoalmente pelo embaixador Jian-Gueng Her.

"Taiwan é uma nação que valoriza muito a cultura local de seus povos, e sem dúvida alguma valorizar essa pluralidade cultural é uma das prioridades do nosso país, logo, poder contribuir para que esse movimento continue a se fortalecer é uma honra para nós", destacou Jian-Gueng Her.

Os dois grupos artísticos têm sede em Samambaia Sul. A primeira parada foi no ginásio de esportes da cidade, local onde o grupo junino Si Bobiá a Gente Pimba ensaia. O diplomata conheceu alguns integrantes do grupo junino e pode ver de perto a apresentação do espetáculo A botija e o tesouro do meu São João, que propõe aos espectadores refletirem sobre a riqueza a ser descoberta em cada um de nós e sobre os valores que cada um carrega.

"Mais importante que a doação é o reconhecimento, pois o movimento junino daqui de Brasília ainda é muito carente e precisa de ajuda, e só de saber que existem entidade e pessoas que olham para o nosso universo junino com apreço, querem ajudar e conhecer mais sobre essa cultura, é muito gratificante", conta Maria Heloísa Souza Martins, coordenadora da Si Bobiá a Gente Pimba.

Para o marcador e presidente da quadrilha, Claudecir Martins, o ato surge como uma inspiração, não só para a Si Bobiá a Gente Pimba, mas para todos os grupos de quadrilha do DF e do Entorno, pois demonstra a importância que o movimento junino na região fomenta sobre a cultura brasiliense.

"Trabalhamos o ano todo para conseguirmos colocar uma quadrilha linda no arraiá e ir competir de igual com os grupos do Nordeste, porém, a falta de apoio muitas vezes nos impossibilita de ir atrás dessas conquistas. Mas atitudes como essa nos faz sonhar mais alto", comemora Claudecir.

Trabalho social 


O movimento junino do DF vai muito além da dança, e um dos braços mais fortes são as ações sociais que as quadrilhas desenvolvem. E a segunda parada foi justamente em um instituto que surgiu a partir de uma iniciativa da quadrilha junina Pau Melado, que fundou o Instituto Amigos do Bem, para atender crianças e adolescentes da região, com aulas gratuitas de dança, percussão, música, judô, karatê, entre outras modalidades.

O instituto que fica na quadra 106 de Samambaia Sul atende, mensalmente, 900 jovens, que tem entre as atividades mais procuradas as aulas de violão e futebol, que acontecem na quadra de esportes do governo.

"É muito recompensador ter momentos como esses. Há semanas nós estávamos nos organizando para poder comprar novos violões e reformar os antigos, no entanto, nossos recursos estão muito enxutos, e quando ficamos sabendo da doação, foi uma notícia maravilhosa e inesperada. Estamos muito felizes em saber que vamos poder melhorar nossas operações, a partir da contribuição de Taiwan", comemora Sebastião Souza, do Instituto Cultural Amigos do Bem.
FONTE: CORREIO BRAZILIENSE

Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário