Policial militar mata mulher e tira a própria vida no DF

AM IMOVEIS
No dia em que a Lei Maria da Penha completa 12 anos de sanção, um policial militar matou a mulher e tirou a própria vida no Riacho Fundo II. Segundo informações da Polícia Militar, Epaminondas Silva Santos, 51 anos, lotado no 8º Batalhão (Ceilândia), assassinou a companheira, Adriana Castro Rosa Santos, 40, por volta das 10h desta terça-feira (7/8), na QN 7, Conjunto 4, em frente à casa 13, Riacho Fundo II.
Segundo informações preliminares, o policial chegou ao endereço em uma motocicleta, chamou a vítima até o lado de fora da residência e efetuou pelo menos dois disparos na mulher. Em seguida, tirou a própria vida. O óbito dos dois foi constatado no local pelos bombeiros. Eles eram pais de um menino de 11 anos, uma menina de 8 e um caçula de 5. Segundo os vizinhos, estavam em processo de separação.

Adriana e os filhos estavam na casa da mãe dela. Um das testemunhas contou à reportagem que chegava em casa no momento em que o casal conversava em frente ao portão. Assim que ela entrou em casa, ouviu três disparos de arma de fogo. “Quando saí para ver o que ocorria, os corpos caídos”, afirmou.
Ainda de acordo com vizinhos, não houve discussão entre o casal. Um comerciante que tem uma loja de roupas na mesma rua disse que ouviu os tiros e correu para ver o que estava ocorrendo. “Pensei que era um assalto. Saímos assustados e ainda vimos os dois agonizando. Uma cena muito triste”, destacou Maria do Amparo, 53 anos.
Por volta das 12h, os corpos ainda estavam no local à espera da perícia da Polícia Civil do Distrito Federal. A arma usada pelo policial, uma pistola .40, permanecia na cena do crime.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário