Sindate denuncia sucateamento do Samu

Em entrevista a equipe da Band Brasília na última quinta-feira (14/06), o diretor do Sindate-DF, Newton Batista denunciou o sucateamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a irresponsabilidade do atual governo com a assistência à saúde da população.
Batista informou que atualmente apenas 37 ambulâncias atendem aos chamados, sendo sete delas unidades avançadas, ou seja, contam com a presença de um médico, enquanto as demais são tripuladas apenas por um condutor e por um técnico em enfermagem.
Em fevereiro de 2017, o Secretário de Saúde, alegando corte financeiro, foi mais uma vez negligente com a população do DF, ao retirar um técnico em enfermagem das ambulâncias, que até então eram compostas por dois técnicos e o condutor.
A medida inconsequente do secretário, acarretou prejuízos imensuráveis ao atendimento dos usuários, uma vez que que o condutor é responsável pela integridade da cena e da viatura, enquanto o técnico sozinho, tem que dar assistência a todas as vítimas.
Na entrevista, o diretor falou também sobre a Portaria Conjunta Nº 74, de dezembro de 2017, que atribui ao técnico em enfermagem a responsabilidade de conduzir viaturas da SES, o que causou muita revolta na categoria, uma vez que a profissão é regulamentada por lei federal e não prevê nas atribuições do cargo, a condução de veículos.
O diretor que por muitos anos trabalhou no Samu e conhece de perto os desafios diários, fez questão de ressaltar o descaso desta portaria. “É absurdo que estes profissionais sejam responsáveis por tantas vidas, permaneçam atentos ao trânsito, equipamentos e ainda façam os primeiros socorros de pacientes, muitas vezes complexos” questionou.
A população de Brasília cresceu de forma absurda nos últimos anos, ultrapassando 3 milhões de habitantes, segundo o IBGE, porém a má gestão do atual governo, não se atem a este número ao colocar em funcionamento apenas 37 veículos do Samu. “O número atual está muito abaixo da média para atender de forma rápida e eficiente todos os que precisam. Seriam necessárias no mínimo cinco viaturas em cada região administrativa do DF” enfatizou Batista.
O diretor denunciou a falta de equipamentos importantes, como o massageador cardíaco externo, que está sem baterias e carregadores, sendo comprados muitas vezes pela própria equipe, que tira dinheiro do próprio bolso para não prejudicar o atendimento aos usuários, pois vidas podem ser salvas com este equipamento.
A pedido do Sindate, o Cofen entregou à Secretária de Saúde um parecer extrajudicial, desfavorável a portaria, que fere a legislação, não respeitando as atribuições dos técnicos em enfermagem previstas por lei. Caso o parecer não seja aceito, as entidades irão recorrer à Justiça Federal.
O Sindate reafirma o compromisso com a categoria e continuará lutando para que os direitos sejam garantidos e para que o Secretário de Saúde do DF não use o seu cargo para fazer o que bem entende, querendo inclusive se sobressair às leis federais que regulamentam a profissão do técnico em enfermagem.
Ascom Sindate-DF
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário