Criança é morta a tiros na frente da mãe no Distrito Federal

Uma criança de 11 anos morreu após ser baleada no peito na tarde dessa quinta-feira (7/6), em Planaltina. Segundo testemunhas, os dois suspeitos do crime estavam em uma moto. Um deles fez vários disparos e acertou Gabriel dos Santos Teixeira, que voltava da aula de futebol. A mãe tentou socorrer o filho com ajuda dos vizinhos, mas o garoto não resistiu ao ferimento.
Até a tarde desta sexta (8), os suspeitos ainda não tinham sido localizados. Conforme relatos de pessoas que estavam no local da tragédia, um dos acusados do assassinato usava capacete. Autor dos disparos, o passageiro vestia uma jaqueta preta e amarelo.
Gabriel estava em um grupo de meninos que voltavam do campo de futebol. Chegou a ser levado por moradores ao Hospital Regional de Planaltina, mas acabou morrendo. Ao Metrópoles, Indiara Galvão, uma das primas da vítima, disse que o atirador chegou a apontar uma arma para a cabeça de uma outra pessoa, mas o disparo teria falhado. O suposto alvo teria corrido.
Ainda de acordo com Indiara, a criança, mesmo ferida, conseguiu entrar no quintal de casa. Em seguida, jogou as chuteiras no chão e caiu ensaguentada na calçada. A mãe presenciou a cena e chamou os vizinhos para ajudar a socorrer o filho.
O irmão de Gabriel também é menor e cumpre medidas socioeducativas em uma unidade de internação do Distrito Federal. Para a família, a situação não motivou o crime cometido nessa quinta. “Estão misturando uma coisa à outra. Vimos algumas publicações que dizem que o meu primo era envolvido com coisas erradas, mas isso é mentira. O Gabriel estudava, era uma criança muito alegre, inteligente, amável, educado. Gostava de abraçar a todos. A mãe dele está arrasada”, afirmou. A 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina) investiga o caso.
Tia da vítima, Maria Félix, 52, garante que Gabriel sempre foi um menino muito tranquilo. “Amava futebol e sonhava ser jogador. Nunca fez mal a ninguém. Todos gostavam dele por aqui”, afirmou. De acordo com ela, o sobrinho era conhecido por todos e costumava brincar nas ruas da quadra durante o dia. “Tinha muitos amigos. Era muito querido”, acrescentou.
Um vizinho, que preferiu não se identificar, diz que a região tem ficado mais violenta ultimamente, mas não imaginou que um episódio trágico fosse acontecer tão perto de sua residência. “A gente nunca espera que isso aconteça. Ainda mais com um garoto tão bom quanto o Gabriel. A única preocupação dele era jogar bola e brincar na rua”, comentou.
Outro morador que quis manter o anonimato reclama da insegurança no Setor Residencial Norte de Planaltina. “Isso é coisa de rinha de gangue. Com certeza. Não sei nem se vou poder deixar meu filho brincar na rua mais”, destacou. O corpo de Gabriel será enterrado às 14h deste sábado (9), no cemitério de Planaltina.
FONTE: METROPOLES
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário