Irmãos usavam Uber para vender cocaína no DF


A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) revelou, nesta quinta-feira (22/3), o resultado de uma Operação Negócio de Família, que prendeu quatro traficantes de Vicente Pires, três deles irmãos, que forneciam drogas para a classe média alta de Brasília. Também foram apreendidos cerca de R$ 30 mil, armas e cinco carros, sendo dois de luxo. Um comprador também foi preso, flagrado no momento em que adquiria o produto ilícito.



A investigação constatou que o grupo atuava havia pelo menos dois anos e era composto por três irmãos, dois homens e uma mulher, e o marido dela. Segundo o delegado da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord), Luiz Henrique Sampaio, o grupo só trabalhava com cocaína. "Eles vendiam a droga somente para pessoas de elite, de classe média alta. Por ser um produto sem mistura, com 99% de pureza, só pessoas com poder de aquisição podiam comprar", afirmou. Os compradores eram, principalmente, moradores de áreas nobres do DF, especialmente de Águas Claras e do Plano Piloto.
De acordo com o delegado, a quadrilha comprava o quilo da droga em regiões de fronteira por R$ 25 mil e revendia cada 5g por R$ 200, o que rendia um lucro de R$ 65 mil por quilo. Com isso, eles viviam em um padrão de vida "em ascensão", segundo Sampaio.

A investigação aponta, ainda, que o grupo utilizava uma kitnet em Águas Claras para guardar a droga. Suspeitando das investigações da polícia, no entanto, o bando alugou, ainda de acordo com o delegado, um quarto em hotel de luxo de Águas Claras para armazenar o entorpecente. Os 3,5kg confiscados na operação foram achados nesse hotel e na casa onde os dois irmãos homens moravam, em Vicente Pires. 

FONTE CORREIO BRAZILIENSE
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário