Dores de cabeça constantes saiba se prevenir!

Dores de cabeça constantes, frequentes são comuns na população geral. Estudo por nós realizado mostrou que no Brasil 6,9% das pessoas apresentam mais dias com dor de cabeça do que sem dor.
O diagnóstico das dores de cabeça constantes e frequentes tem que ser realizado, o que pode ser uma dor de cabeça constante, o que podem ser dores de cabeça frequentes? O primeiro passo é distinguir entre dores de cabeça (cefaleias) primárias ou secundárias. As dores de cabeça podem ser originadas de doenças outras como a sinusite, meningite, tumor cerebral, aneurisma cerebral ou também causas simples como infecções virais, anemias, hipotireoidismo.
Quando a dor de cabeça constante e frequente é caracterizada como uma cefaleia primária, agrupamos nas chamadas dores de cabeça diárias, a cefaleia crônica diária.

SINTOMAS ASSOCIADOS A DORES DE CABEÇA CONSTANTES
Pode ser comum apresentarem-se sintomas juntamente com as dores de cabeça constantes, dores musculares, dores na nuca, dores no pescoço. As dores de cabeça podem ser apenas do lado esquerdo, ou apenas do lado direito, isto pode apontar para alguma causa específica, o médico avaliará este aspecto com detalhe. As dores podem aparecer com tontura, vertigem, sensação de rodar, ou mesmo uma tontura como um mareamento, ou sensação de cabeça leve, sem a sensação rotatória. Formigamentos podem aparecer também. Ansiedade e dores de cabeça são muitas vezes associadas, estresse (stress), preocupações excessivas, antecipação de acontecimentos frequentemente podem estar presentes nos quadros de cefaleias constantes. A sensação de pressão na cabeça é muitas vezes descrita, mas quando o diagnóstico está relacionado a enxaqueca a dor de cabeça normalmente é latejante, é pulsátil.
Dores de cabeça constantes e frequentes podem aparecer na criança, na infância, também na gravidez, menopausa, climatério.
CEFALEIA CRÔNICA DIÁRIA
A cefaleia crônica diária é uma síndrome que compreende quatro doenças que tem em comum o fato de apresentarem a dor de cabeça diariamente, ou quase diariamente, por definição, dor de cabeça ou cefaleia diária é aquela dor de cabeça que aparece por mais do que 15 dias em um mês, por mais de três meses.
Enxaqueca crônica, cefaleia tensional crônica, hemicrania continua, cefaleia nova diária e persistente são as quatro síndromes que compoem a cefaleia crônica diaria.
A enxaqueca crônica evolui geralmente de uma cefaleia do tipo enxaqueca, ocasional, esporádica, e passa a aumentar a frequencia até chegar a ser diária, ou vir mais dias com dor do que sem dor. Da mesma forma a cefaleia tensional, porém como o próprio nome coloca, com caracterísitcas de dor de cabeça tipo tensional.
A cefaleia nova diária e persistente é caracterizada pela cefaleia de início já com fequencia alta, diária, não ocorre uma evolução como na enxaqueca crônica e cefaleia tensional crônica. Chamada em ingles de “new daily persistent headache”.
A hemicrania continua também é classificada como uma cefaleia trigêmino-autonômica. É uma dor de cabeça que responde completamente a indometacina, uma antiinflamatório, que com o ajuste de dose alivia 100% das dores da hemicrania continua. A dor de cabeça pode ser forte nas exacerbações, mas tem uma dor de cabeça basal continua de intensidade leve e moderada. O termo hemicrania significa na metade do cranio, a hemicrania continua portanto  é uma dor de cabeça que ocorre apenas em uma metade da cabeça.
TRATAMENTO DA DOR DE CABEÇA CONSTANTE e FREQUENTE
Após definido o diagnóstico da dor de cabeça constante, frequente, se for descoberta alguma doença como a sinusite ou meningite ela será tratada conforme a avaliação médica. Sendo definida uma cefaleia primária como a enxaqueca, cefaleia tensional ou outra dor de cabeça, o tratamento será preventivo, para evitar que venha a dor de cabeça, com medidas medicamentosas e não medicamentosas, remédios como antidepressivos, anticonvulsivantes (neuromoduladores), betabloqueadores, melatonina, toxina botulínica (botox), bloqueios de nervos, vitaminas e fitoterápicos podem ser utilizados.
Um cuidado especial tem que ser tomado com a prescrição e uso de analgésicos, pois pode ocorrer a cefaleia rebote, pelo uso abusivo dos analgésicos. Pode ser necessário um tratamento de transição para desintoxicação dos analgésicos.
Este artigo e qualquer informação do site não substitui uma consulta médica, não se auto-medique, procure um neurologista. Este artigo foi escrito e revisto pelo Dr Mario Peres, médico neurologista, coordenador do Centro de Cefaleia São Paulo em 15 de maio de 2010.
Para marcar uma consulta na Cliped ligue para (61) 3458-5230,  3554-2425 
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário