Réveillon 2018 vai custar 2 milhões para o GDF


O Governo do Distrito Federal divulgou, nesta quinta-feira (28/12), a programação para as festas de Ano-Novo que ocorrem no Museu da República e na Praça dos Orixás, a Prainha. Três atrações locais e três nacionais vão se apresentar nos dois eventos. Será o Réveillon mais caro da gestão do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) e vai custar R$ 1,9 milhão, mais que o dobro da virada anterior.
A programação no Museu da República começa às 19h, com show da cantora Célia Porto. Em seguida, às 20h, o músico Alberto Salgado assume o palco. As atrações nacionais começam às 21h10, com apresentação de Alcione. Em seguida, a cantora Joelma faz show no momento da virada.
Na Prainha, a primeira apresentação começa já em 2018, com o show do grupo Afoxé Filhos de Gandhy, a partir da 0h30. Uma hora depois, Marcelo Café e banda fazem o último show da noite.
Segundo o GDF, o cachê dos três artistas nacionais soma R$ 560 mil: Alcione receberá R$ 300 mil; Joelma, R$ 210 mil; e Filhos de Gandhy, R$ 50 mil. Já as apresentações dos músicos brasilienses vão custar R$ 72,5 mil.
Um dos cachês, inclusive, tem sido alvo de polêmica. O preço cobrado pela cantora Alcione é mais que o dobro do pedido para a apresentação da artista no dia 20 de dezembro, na cidade de Feira de Santana (BA), quando a sambista embolsou R$ 130 mil. No último dia 21, o Tribunal de Contas do DF pediu esclarecimentos à Secretaria de Cultura quanto ao valor pago à cantora.
A decisão da Corte é resultado de uma representação do Ministério Público de Contas do DF (MPC/DF). No documento, o procurador Marcos Felipe Pinheiro Lima afirma que “o valor da contratação, no montante de R$ 300 mil, abriga indícios de violação aos princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, sobretudo se comparado às recentes contratações realizadas pela artista”.
Anos anteriores
Em véspera de ano eleitoral e com a arrecadação em crescente, o GDF decidiu investir na festa da virada. No Réveillon 2015/2016, foram despendidos R$ 859,8 mil. No exercício seguinte, o governo gastou R$ 937,4 mil. Mesmo mantendo o discurso de austeridade, a verba prevista para a passagem de 2017 para 2018 é quase duas vezes maior.
Na despedida de 2015, primeiro Ano-Novo de Rollemberg como governador, a celebração, comandada por artistas locais, foi um pouco mais tímida. Na recepção de 2017, porém, cantores com fama nacional, como MC Carol e o rapper Criolo, estavam entre as atrações.
O valor investido na virada para 2018 é maior do que os gastos dos anos anteriores, pois, neste ano, outros projetos da Pasta contaram com parcerias e patrocínios, permitindo reforço na verba para esse fim, justificou a Secretaria de Cultura. “Embora o custo estivesse dentro do previsto e aprovado no orçamento para o ano”, ponderou o órgão.
TrânsitoPor conta da festa de Ano-Novo, o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) vai fazer modificações no trânsito nas imediações da Prainha. A partir das 14h do domingo (31), os motoristas que saírem do Lago Sul em direção ao Plano Piloto só poderão transitar pela faixa central, já que a da direita será exclusiva para o tráfego de veículos credenciados.
A alça de acesso à via L4​ ​Sul, próximo à Prainha, também será fechada devido à montagem da estrutura do evento e para assegurar a livre circulação de pedestres no local. Por isso, o condutor que for acessar a L4 Sul, no sentido Asa Norte, deverá efetuar retorno pelo viaduto.
Durante a queima de fogos, por volta das 23h40 até 0h30, a Ponte Honestino Guimarães será totalmente interditada para garantir a segurança dos motoristas e pedestres. O bloqueio será realizado nos dois sentidos, no retorno em frente ao Pontão e na altura da alça de acesso à via L4 Sul.
FONTE: METROPOLES
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário