Alunos enfrentam filas pra liberar passe livre estudantil

 A luta para tentar conseguir liberar o Passe Livre Estudantil (PLE) continua. A promessa era de que a situação estaria regularizada a partir de 1º de fevereiro, porém os estudantes da rede pública e privada do Distrito Federal continuam gastando horas nas filas para conseguirem validar o cartão, que está com status vencido. Na tarde desta terça-feira (7), o posto da Galeria dos Estados voltou a ser cenário de longas filas.
Desde a semana passada, a estudante Valeska Paiva, 18, tenta atualizar o cadastro. “Estou aguardando atendimento há quatro horas. A cada dia que passa, mais eu espero nas filas. Semana passada busquei solução e nada. Eu preciso atualizar meu cartão, não tenho como ficar bancando passagem do meu bolso”, conta. “Olha o tamanho dessa fila. Tem mais de 400 pessoas na minha frente. Nem sei se consigo atendimento hoje. Não trabalho e minha mãe não consegue custear tudo. É complicado”, lamenta a estudante.
O estudante de pedagogia Lucas Castro, 22, morador de Sobradinho, conta que a situação está crítica. “O cartão está bloqueado desde dezembro. Faço curso de verão e desde então preciso me virar para conseguir dinheiro. O governo tem verba e faz isso com os pobres. Já não sei como vou pagar passagem, não tenho mais a quem recorrer. Já está em estado de calamidade”, desabafa.
Pais também enfrentam filas
Não só estudantes saem de casa e se dispõem a pegar enormes filas para tentar solucionar a questão. Ivana Ferreira, 48, precisou faltar o trabalho para tentar resolver a situação da filha. “Já perdi as contas de quantas vezes vim até aqui para buscar uma solução. Mas toda vez enfrento essas filas quilométricas, e ninguém passa uma informação concreta. Já recebemos email informando que o cartão estava liberado e nada. As aulas voltaram e não tenho como pagar R$ 10 todos os dias”, indaga.
O caso também se repete com Adenolra Pereira, 36, moradora de Planaltina de Goiás. A dona de casa enfrenta a enorme fila pela quarta vez para tentar resolver o caso dos dois filhos que utilizam o benefício. “Moro longe e ter que assumir com passagem de duas pessoas é complicado. Por semana, gasto em média R$ 75. Desse jeito não dá. Ta difícil”, relata.
Versão oficial
Segundo o diretor-geral do DFTrans Léo Carlos Cruz, a equipe de Tecnologia da Informação (TI) do órgão está buscando respostas para solucionar todos os problemas com o cartão. “Nesse momento, estamos analisando o problema para começarmos a trabalhar em busca da solução. Alguns validadores (leitoras de cartões) foram atualizados e outros não”, explica. “No entanto, mesmo atualizados, alguns validadores vêm enfrentando problemas. Muitos não conseguem regravar os dados no cartão, o que acarreta toda essa confusão”, informou.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário