Logo do HTML Dog

Espetáculos para a infância no Complexo Cultural Samambaia



 O 1° Festival de Teatro e Arte-educação do DF cria acesso ao público espontâneo e estudantes da rede pública de diferentes escolas de Samambaia a espetáculos teatrais de gêneros variados apresentados por grupos de destaque da cena brasiliense.

 

O festival nasceu de uma colaboração entre a Cia Rainha de Copas e a V4 Cultural. Composta pelas atrizes Marília Cunha e Nadja Dulci, a Cia. Rainha de Copas teve origem em 2016, e, desde então, dedica-se à pesquisa e produção de atividades voltadas ao público infantil. Já a V4 Cultural realiza a gestão administrativa e financeira de projetos de artistas, coletivos e instituições nas áreas de teatro, dança, música e cinema do Distrito Federal desde 2012, tendo Pedro Caroca como coordenador e gestor.

 

A partir da trajetória artística dos componentes deste projeto e de trocas realizadas com outros grupos do Distrito Federal fazedores de arte para infância e juventude, a Cia Rainha de Copas sentiu a necessidade de realizar este Festival por entender que é de suma relevância a identificação e a representatividade das realidades infantojuvenis no teatro, tanto nas narrativas das produções artísticas contemporâneas, quanto no encontro destas produções com o público do segmento educacional, ampliando e valorizando as perspectivas da diversidade cultural na infância.

 

A cidade de Brasília, potencialmente tem se tornado um polo de debate acerca da arte para infância e os espaços dos festivais são um solo fértil para pensar e repensar essa arte. Crianças e jovens podem fruir o teatro em festivais já conhecidos pelo grande público, no entanto, este é o primeiro festival com o foco na infância produzido em Samambaia e que contemplará não somente o teatro, mas a arte e a educação em sua programação.

 

As atividades formativas do Festival cumprem neste projeto um importante papel na contribuição da função educativa e informativa do equipamento público, principalmente por suas temáticas e por serem voltadas para professoras e professores da rede pública de ensino da região de Samambaia, para que possam levar para dentro de sala de aula novas opções pedagógicas de ensino e aprendizagem por meio da arte. Todas as oficinas são gratuitas e terão 2 horas de duração, criando acessibilidade aos educadores interessados.

 

UM FESTIVAL EM SAMAMBAIA

 

O festival é produzido por atrizes e atores da cena brasiliense, que também são educadores e produtores de cultura. Na criação do FESTAE, a V4 Cultural, que tem a frente o ator, produtor e gestor cultural Pedro Caroca, é parceira da Cia Rainha de Copas, representada pela atriz e educadora Marília Cunha e pela atriz e produtora Nadja Dulci.

 

Com a situação de pandemia, o projeto, que seria prioritariamente presencial, precisou se adaptar ao formato híbrido. Através da Ocupação do Complexo Cultural Samambaia, será possível transmitir ao público diferentes atrações através do canal do Complexo no Youtube. Cada espetáculo ficará disponível por 24 horas. Além disso, serão oferecidas cinco oficinas por meio de plataforma de videoconferência (Google Meet).

 

O Complexo Cultural Samambaia é palco para diversas linguagens artísticas e em seus primeiros anos de existência trouxe impacto positivo no segmento da economia criativa e na qualidade de vida da comunidade. Fruto de uma luta do movimento artístico local, tomou corpo e passou a ter cada vez mais adesões e participação de artistas e do público. Além do Cineteatro Verônica Moreno, com 528,61m², o Complexo conta também com Sala de Leitura, Galpão Multiuso, Sala Multiuso, Sala para Teatro, Sala para Dança, Sala para Audiovisual e Ateliê de Artes Visuais.

 

A abertura do festival será com a palestra de Lydia Hortélio, artista de Salvador com intenso trabalho no estado da Bahia que construiu uma vida e uma pesquisa que ultrapassa a esfera acadêmica e se conecta à terra. O seu trabalho enfatiza a importância daquilo que é lúdico e pertencente ao povo. Ao lado de mestres e mestras, registrou histórias de tantas manhãs, cantorias de belezas genuínas e um elemento essencial: o saber ver. Ver como um guardador de rebanhos: a alma das flores, dos rios, da vida ordinária. A prática como professora, aliás, corrobora a sua convicção de que um mundo diferente surgirá por meio da revolução dos pequenos.

Lydia faz parte do grupo de risco para o covid-19. Por se tratar de uma senhora de 88 anos, tornou-se inviável uma viagem dela de Salvador a Brasília para participar do Festival, por todas as exposições e riscos envolvidos. Sendo assim, a palestra de abertura será transmitida ao vivo também pelo canal do CCS no Youtube, acompanhada de interpretação em Libras.

 

Além das apresentações e palestras, o projeto conta com cinco bate-papos com os grupos teatrais após cada exibição das obras. O público poderá conversar com os artistas de forma remota pelo canal do Complexo Cultural Samambaia.

 

O público-alvo são crianças, jovens e educadores da Rede Pública de Ensino do DF e as transmissões serão realizadas através de parceria com as instituições. Já as oficinas são oferecidas para os profissionais da educação a partir de convite direto às escolas e será aberta também a outros entusiastas.

 

 

PROGRAMAÇÃO FESTAE

 

23/05 (DOMINGO) – Abertura do Festival com palestra “De onde vem aquela menina”, com Lydia Hotélio (Salvador/ BA), às 16h

 

24/05 (SEGUNDA) – Exibição do espetáculo “João, Joãozinho, Joãozito”, da Cia Rainha de Copas. O espetáculo é baseado na obra homônima de Claudio Fragata e conta a história do menino introspectivo que vive no interior das Minas Gerais, que ama os livros e veio a se tornar um dos mais célebres escritores brasileiros João Guimarães Rosa.

Horário:  10h e 15h (disponível no canal por 24h). O bate papo com artistas será às 19h.

 

25/05 (TERÇA) – Exibição do espetáculo “A História do Balão Vermelho” do Grupo de Teatro Celeiro das Antas. A obra, com técnicas de palhaçaria, conta a aventura de um balão vermelho, inseguro e inquieto, que desconhece que pode voar. Com toda sua pureza e ingenuidade, parte em busca da realização de um sonho e faz com que sua própria história aconteça.

Horário: 10h e 15h (disponível no canal por 24h). O bate papo com artistas será às 19h.

 

26/06 (QUARTA) – Exibição do espetáculo “Brasília, Brinquedo de Ler”, da Duo Brinquedo. A obra recria de forma absurda e misteriosa a história da construção de Brasília passeando pela linguagem poética dos sonhos. É um convite para que as infâncias de todas as idades brinquem de ler a cidade e o seu lugar dentro dela.

Horário: 10h e 15h (disponível no canal por 24h). O bate papo com artistas será às 19h.

 

27/05 (QUINTA) – Exibição do espetáculo “Benedito, Abençoado e Benzido”, do Mamulengo Fuzuê. Enfrentando os desmandos do Capitão João Redondo, que tudo quer comprar e dominar com seu dinheiro e poder, Rosinha, Benedito e o Boizinho Fuzarca lançam mão de muita esperteza para fugir de perigos representados pela fantástica Cobra Anaconda.

Horário:  10h e 15h (disponível no canal por 24h). O bate papo com artistas será às 19h.

 

28/05 (SEXTA) – Exibição do espetáculo “Bendita Dica”, da Cia Burlesca. O espetáculo com atores e bonecos em cena utiliza entre as manipulações a técnica japonesa Bunrako. Ela narra liricamente a história de Benedita Cipriano Gomes, mais conhecida como Santa Dica, uma mulher guerreira que construiu uma sociedade baseada nos princípios da coletividade e solidariedade na cidade de Lagolândia/GO, entre as décadas de 20 e 30.

 Horário: 10h e 15h (disponível no canal por 24h). O bate papo com artistas será às 19h.

 


29/05 (SÁBADO)

Oficinas Artísticas

 

10h às 12h - Inaugurando um novo olhar Celeiro das Antas - O do Grupo de Teatro Celeiro das Antas propõe a Oficina Inaugurando um Novo Olhar, com enfoque sobre a construção de bonecos a partir de objetos cotidianos resultado do processo de montagem do espetáculo “A História do Balão Vermelho”.

 

14h às 16h - O Brinquedo e Brincadeira Mamulengo Fuzuê - Mamulengo Fuzuê fará a Oficina O Brinquedo e a Brincadeira. A oficina pretende ser um lugar de troca e aprendizado sobre o folguedo da Cultura Popular Brasileira, o universo do Teatro de Mamulengo abordando um pouco da história do teatro de bonecos no Brasil e a estrutura da Brincadeira de Mamulengo no que diz respeito a musicalidade e personagens tradicionais.

 

17h às 19h - Brinquedos Poéticos/ Duo Brinquedo - Na oficina, Duo Brinquedo desdobra as poéticas do espetáculo “Brasília, brinquedo de ler” em um novo convite: reprojetar Brasília numa brincadeira de bagunçar as estruturas da cidade com os próprios objetos, fúrias e paixões. Os oficineiros são os artistas Gabriel Guirá e Ana Flavia Garcia.

 


30/05 (DOMINGO)

Oficinas Artísticas

 

10h às 12h - Brincadeiras Tradicionais/ Cia Rainha de Copas - A Cia Rainha de Copas oferecerá a Oficina Brincando com João, que tem como objetivo juntar a brincadeira tradicional que de alguma forma já faz parte do repertório da criança, com a Pedagogia Griô com a intenção de privilegiar os saberes e fazeres tradicionais já existentes no imaginário do educador.

 

14h às 16h - Contação de Histórias/ Cia Burlesca - A Cia Burlesca irá ministrar a Oficina de Contação de Histórias. Nela serão abordados conteúdos como valores contidos nas histórias, técnicas de narrativa, interpretação, elementos para narração, preparação e apresentação de histórias e recursos artísticos.

 

FICHA TÉCNICA:

Coordenação Geral: Marilia Cunha, Nadja Dulci e Pedro Caroca

Coordenação Pedagógica: Marilia Cunha    

Coordenação de Produção: Nadja Dulci

Gestão Cultural: Pedro Caroca - V4 Cultural

Produção: Julie Wetzel

Artes Gráficas e Gestão de Mídias sociais: Gabriel Guirá

Assessoria de Imprensa: Josuel Junior

Agradecimentos: Suellen Sousa

 

Link do Canal do Complexo Cultural Samambaia: https://www.youtube.com/channel/UCd73t8KQXD5pdBv9ZK97g5g

 

Siga o projeto nas redes: @festaedf

*Este projeto conta com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário