Saiba quem deve receber as parcelas do novo auxílio emergencial

Um número menor de pessoas deve receber o novo auxílio emergencial em comparação com os pagamentos do ano passado. Assim como, o valor das parcelas também deverá ser reduzido. O objetivo é atender as camadas mais carentes da população e usar menos recursos do que em 2020.



A expectativa é que as parcelas do benefício fiquem entre R$ 200 e R$ 250 e sejam pagas de março a junho. O auxílio deve ser recriado através de um crédito extraordinário, que permite usar recursos de fora do teto de gastos e do orçamento para o caso de despesas urgentes.

Quem vai receber os valores do novo auxílio emergencial?

O novo auxílio emergencial deve contemplar mais de 40 milhões de pessoas. A informação é da Folha de São Paulo, em reportagem publicada no dia 14 de fevereiro. Em comparação, no ano passado o benefício atingiu um número próximo de 65 milhões de cidadãos. Foi pago aos desempregados, trabalhadores autônomos, informais e beneficiários do Bolsa Família.

Para chegar a este montante, o Ministério da Economia pretende direcionar as parcelas apenas a população das camadas mais baixas de pobreza. Segundo a mesma reportagem mencionada, que ouviu pessoas que estão a par da recriação do benefício, essa intenção está amparada no fato de que 75% dos beneficiários do auxílio emergencial pago em 2020, representavam 50% da população com menos recursos. Sendo assim, o auxílio em 2021 deve ser destinado a esses 75%.

O custo do programa deve ficar em torno de R$ 24 bilhões e R$ 50 bilhões. Ao passo que em 2020, o total investido foi de R$ 322 bilhões, com pagamento de abril a dezembro.

Quem é do Bolsa Família vai receber o novo auxílio emergencial?

Outra dúvida é em relação aos beneficiários do Bolsa Família. Os quais, fizeram parte do auxílio emergencial no ano passado e receberam os valores de R$ 600 e R$ 300 seguindo o calendário regular do programa.

Neste ano, esse grupo não deve ser beneficiado pelo novo auxílio emergencial. No entanto, a expectativa é que as famílias recebam um aumento em seus pagamentos mensais, de modo a se alinharem aos valores do auxílio.

Na discussão sobre um novo Bolsa Família, se discute o aumento do benefício médio dos atuais R$ 190 para R$ 200 ao mês. Bem como, zerar a fila de espera do programa, formada por cidadãos que atendem aos requisitos do programa, mas ainda não aguardam pela inclusão e recebimento de valores.


Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário