Capitais começam a paralisar vacinação contra a Covid-19


 

Menos de um mês após o início da vacinação, as capitais começam a suspender campanhas por falta de estoque. Rio, Salvador e Cuiabá já anunciaram que não vão mais aplicar a primeira dose do imunizante até novas remessas. Em Curitiba, a prefeitura admite só ter volume suficiente para esta semana. A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) cobrou do governo federal um cronograma de entrega de doses.

Na segunda-feira, 15, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM) informou que, sem vacina suficiente, o Rio iria interromper o programa por pelo menos uma semana. Segundo o governo municipal, as doses que ainda estão disponíveis foram reservadas para a segunda aplicação. A Secretaria Municipal de Saúde diz ter recebido cerca de 375 mil doses e vacinado 249,8 mil pessoas – número já superior à quantidade disponível, considerando a segunda dose.

“A expectativa é de que as doses provenientes do Instituto Butantan sejam entregues no dia 23”, disse o governo federal, em nota. “O retorno esperado (da campanha) é na próxima semana, mas a data exata ainda será confirmada.”

Em Salvador, o prefeito Bruno Reis (DEM) usou o Twitter para anunciar a paralisação nesta terça, 16. A capital manterá a aplicação das segundas doses para trabalhadores de saúde, até nova remessa. “Estão asseguradas desde a primeira distribuição “

Situação semelhante vive Cuiabá. Ontem, a capital de Mato Grosso tinha apenas 400 doses disponíveis para a primeira aplicação. A gestão Emanuel Pinheiro (MDB) manteve só o cronograma da segunda dose. O governo de Cuiabá alega ter recebido 30,8 mil doses e imunizado 23,2 mil pessoas.

***A expectativa é DE que o Brasil receba ainda aproximadamente mais 32 milhões de vacinas contra Covid-19 produzidas por laboratórios de sua escolha até o fim deste ano.

Butantan – Coronavac/Sinovac

Entrega das 100 milhões de doses:

Janeiro: 8,7 milhões – entregues

Fevereiro: 9,3 milhões

Março: 18,1 milhões

Abril: 15,93 milhões

Maio: 6,03 milhões

Junho: 6,03 milhões

Julho: 13,55 milhões

Agosto:13,55 milhões

Setembro: 8,8 milhões

Fiocruz – Oxford/AstraZeneca

Entrega de 222,4 milhões de doses:

Janeiro: 2 milhões – já entregues

Fevereiro: 4 milhões

Março: 20,7 milhões

Abril: 27,3 milhões

Maio: 28,6 milhões

Junho: 28,6 milhões

Julho: 1,2 milhões

****Segundo a Saúde, com a incorporação da tecnologia da produção do insumo, a Fiocruz deverá produzir e entregar mais 110 milhões de doses no segundo semestre de 2021.

União Química – Sputnik V/Instituto Gamaleya

Entrega de 10 milhões de doses (importadas da Rússia) – Previsão de assinatura de contrato esta semana.

Março: 800 mil entregues 15 dias após a assinatura do contrato

Abril: 2 milhões entregues 45 dias após a assinatura do contrato

Maio: 7,6 milhões entregues 60 dias após a assinatura do contrato.

*A expectativa é que, a partir da incorporação da tecnologia da produção dos insumos necessários para o imunizante, a União Química passe a produzir mais 8 milhões de doses por mês.

Precisa Medicamentos – Covaxin/BHARAT BIOTECH

Entrega de 20 milhões de doses da Índia – Previsão de assinar contrato esta semana.

Março: 8 milhões – 4 milhões + 4 milhões de doses entregues entre 20 e 30 dias após a assinatura do contrato

Abril: 8 milhões – 4 milhões + 4 milhões de doses entre 45 e 60 dias após o contrato

Maio: 4 milhões entregues 70 dias após o contrato.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário