Chove no DF após 118 dias de seca




Além de aliviar as altas temperaturas do período de estiagem, a volta das chuvas, nesta segunda-feira (21/9), trouxe um problema recorrente no Distrito Federal: a queda de energia.

Além da queda de energia, outros problemas registrados nesta segunda-feira são os alagamentos, como na Estrada Parque Taguatinga (EPTG).

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), também há previsão de mais chuva para esta quarta (24). Neste ano, a última vez que as estações meteorológicas haviam registrado precipitação foi no dia 25 de maio.

 

Outros estados do Centro-Oeste também registraram chuva nesta semana após quase quatro meses de seca. A mudança no tempo ajuda a evitar a propagação das queimadas no Cerrado e no Pantanal, que bateram recorde em 2020.

Recorde de calor

A chuva ocorre após recordes de temperatura alta no DF. No último sábado (19), os termômetros marcaram 35,5ºC, no Gama. Já a umidade teve a mínima de 12%. Foi o segundo dia seguido de recorde de temperaturas na capital em 2020. Até então, o dia mais quente havia sido a sexta-feira (18), quando os termômetros atingiram 34,6ºC.

Ao mesmo tempo em que a capital ficou mais quente, uma corrente de umidade passa pelo DF. De acordo com a meteorologista do Inmet, Naiane Araújo, é comum a chuva aparecer nessas condições.

"Quando a umidade sobe um pouco e está muito quente, são os ingredientes para a formação das nuvens", afirma a especialista.

O período de precipitações com mais frequência ocorre a partir de outubro.



Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário