Aborto em menina estuprada é “crime hediondo”, diz presidente da CNBB




O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, criticou nas redes sociais o aborto feito na menina de 10 anos estuprada pelo próprio tio. Para ele, a permissão do procedimento foi um crime contra a criança e o feto e a interrupção da gravidez não se justifica pela violência sexual.
“Lamentável presenciar aqueles que representam a Lei e o Estado com a missão de defender a vida, decidirem pela morte de uma criança de apenas cinco meses, cuja mãe é uma menina de 10 anos. Dois crimes hediondos”, escreveu, no Facebook.
“A violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se explica, diante de todos os recursos existentes e colocados à disposição para garantir a vida das duas crianças”, continuou. A menina realizou o procedimento no fim de semana e recebeu alta nesta quarta-feira (19/8).


A criança precisou fazer o aborto em uma maternidade pública de Recife (PE), pois o primeiro hospital a receber a demanda se recusou a operá-la, alegando que não havia estrutura para tal situação. O procedimento foi autorizado pela Justiça.



Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário