Com Covid-19, técnica de enfermagem da UPA de Samambaia, está na UTI




LINKWAP
O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) informou, nesta segunda-feira (18), que uma técnica de enfermagem da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Samambaia, está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), de um hospital particular da capital. Ela foi diagnosticada com o novo coronavírus.

'

De acordo com o Iges-DF, órgão que administra as Unidades de Pronto Atendimento, o instituto "tem realizado assistência emocional e psicológica aos colaboradores" (leia íntegra da nota ao final da reportagem). A Upa de Samambaia tem 200 servidores, 28,5% deles foram infectados.


"No último mês, 57 funcionários da unidade foram diagnosticados com o novo coronavírus, sendo que 55 ainda estão afastados por conta da doença", diz o Iges-DF.

Outra unidade de saúde que registrou casos de coronavírus entre os servidores é o Hospital Regional de Samambaia (HRSam). Segundo a Secretaria de Saúde, 1.030 servidores foram testados para a Covid-19. Destes, 22 apresentaram resultado positivo, sendo que três trabalham na UTI do hospital.


No total, 441 servidores da saúde e 310 da segurança pública estavam contaminados até o último domingo (17). Entre os funcionários da segurança, um policial penal morreu vítima da Covid-19.

O que diz o Iges-DF

"O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IGESDF) esclarece que a UPA de Samambaia adotou todas as medidas em conformidade com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde (MS) para realizar o atendimento de casos suspeitos ou confirmados de covid-19.
Nesta unidade, foram aplicados protocolos para garantir a segurança de profissionais e pacientes. Os equipamentos de proteção individual (EPIs) estão disponíveis e, assim como em todas as unidades administradas pelo IGESDF, a UPA passa diariamente por desinfecção geral em todos os seus ambientes.
Porém, em decorrência do aumento de números dos casos confirmados na cidade de Samambaia, a UPA de Samambaia teve o registro de 57 colaboradores acometidos pela Covid-19, nos últimos 41 dias, entre eles, técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos.

Atualmente, 55 estão afastados em acompanhamento domiciliar, dois já cumpriram quarentena e puderam voltar às suas atividades.
Há uma técnica de enfermagem que atua na UPA de Samambaia internada na rede privada.
As medidas para evitar que o universo de 249 colaboradores que atuam na UPA sejam contaminados foram tomadas desde o início da pandemia. Entre as principais ações, estão a testagem de toda a equipe de colaboradores com ou sem sintomas; afastamento imediato dos profissionais que testaram positivo e, testagem de seus familiares. Além disso, uma cabine de desinfecção e salas de paramentação e desparamentação estão sendo instaladas. E foi definido que o refeitório, usado pelos colaboradores da UPA, terá seu acesso reduzido para restringir contato entre os colaboradores.
O IGESDF também tem realizado assistência emocional e psicológica aos colaboradores.

Há, ainda, o reforço no treinamento para o uso adequado de equipamentos de proteção individual (EPIs), e conscientização da extrema necessidade de que sejam usados, além de orientação para paramentação e desparamentação também tem sido feitos pela gestão.
Sobre o déficit nos quadros, causado pelos afastamentos, equipes temporárias treinadas e ativas em outras unidades foram convocadas para que a prestação de serviços continue de forma adequada. Dessa forma, entre hoje e amanhã, 20 colaboradores realocados de outras unidades passarão a compor a equipe da UPA.
A UPA realiza, em média, 12 mil atendimentos mensais. Nenhum atendimento foi restringido. A superintendência de Atenção Pré-Hospitalar, o Núcleo de Segurança do Paciente e a Vigilância Epidemiológica acompanham diariamente as atividades da UPA."

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário