Pesquisadores de Samambaia desenvolve o “Covid-19 Box”



Pesquisadores do Instituto Federal de Brasília (IFB) criaram uma nova forma de proteger profissionais de saúde em meio à pandemia do novo coronavírus. O grupo desenvolveu uma caixa de acrílico, que diminui o contato físico entre os trabalhadores e os pacientes que atendem.


A novidade ainda está em fase de testes, mas o plano dos pesquisadores é doar o material para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e o Hospital Regional de Samambaia (HRSam). Os cientistas também estão produzindo máscaras para entregar às unidades de saúde (veja mais abaixo).

A caixa de acrílico ganhou o nome de “Covid-19 Box” e foi desenvolvida por educadores do campus de Samambaia do IFB. Segundo o professor Frederico Souza, dois protótipos diferentes foram produzidos.


“A ideia é justamente diminuir o contato do médico com o paciente infectado, de forma que o paciente fique dentro dessa caixa, isolado, e o médico só o manipula.”
As peças de acrílico são cortadas a laser e o tempo médio de produção do equipamento é de até três horas. Segundo Frederico, podem ser feitas até cinco caixas por dia, dependendo de quantas pessoas estiverem trabalhando.


“Por ainda ser um protótipo, o uso é experimental, mas de qualquer forma já há conhecimento de uso em outros países desse tipo de box. Estamos trabalhando sob orientação e recomendação da equipe médica dos hospitais referência na cidade.”

Máscaras

Além das caixas, os pesquisadores também produzem máscaras do tipo face shield para proteger profissionais de saúde. O equipamento cobre toda a frente e a lateral do rosto e evita o contágio pelo novo coronavírus.
Máscaras desse tipo já estão sendo produzidas no IFB, com o uso de impressoras 3D, em um processo que demora cerca de 2h. Segundo o professor Frederico Souza, o método usado pelo grupo permite a produção em cerca de cinco minutos.



Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário