Mulheres que criam filhos sozinhas esperam pelo auxílio-emergencial


A faxineira e chefe de família Eva da Silva Moura, de 35 anos, enfrentou três semanas de redução na demanda de trabalho e na renda quando solicitou o auxílio emergencial do governo federal.

"Terça-feira [7], no dia que começou o cadastro, eu levantei cedo."

Até a tarde desta quarta-feira (22) - mais de duas semanas depois - Eva ainda não tinha visto o dinheiro da primeira parcela. Ela conta que o benefício foi aprovado no dia 14 de abril, mas não caiu na conta que tem na Caixa. A faxineira afirma que procurou ajuda no banco, mas encontrou apenas falta de orientação e longas filas.
Na noite de quarta, o Ministério da Cidadania, um dos órgãos responsáveis por analisar os cadastros dos beneficiários, reconheceu que ainda há pessoas sem receber o primeiro lote e cancelou a antecipação do segundo repasse, previsto para esta quinta (23). A ideia é "completar o atendimento da primeira parcela e anunciar o calendário de pagamento da segunda" (saiba mais abaixo).
Tire suas dúvidas sobre o auxílio emergencial de R$ 600

Moradora do Itapoã, região de baixa renda do Distrito Federal, Eva divide a casa com a filha, de 13 anos. O orçamento da família era baseado em três clientes fiéis da diarista, no entanto, duas delas, moradoras do Lago Sul – local com maior incidência de coronavírus no DF – suspenderam as faxinas.

O trabalho de Eva
A diarista cobra R$ 150 por faxina. "Sobram R$ 140, por causa do preço das passagens", explica.
Com as duas clientes a menos, o que ganha por mês não chega nem a R$ 600, valor do benefício convencional. Para mulheres que criam filhos sozinhas, ele chega a R$ 1, 2 mil.

"Eu não sei o que fazer."
G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Caixa sobre o caso, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.



Demanda e atraso
Na última segunda-feira (20), o presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães, afirmou que mais de 40 milhões de pessoas se cadastraram para receber o benefício, mas o Dataprev informou os dados de 13 milhões. Segundo Guimarães, quem foi aprovado e não recebeu a primeira parcela poderá receber duas de uma só vez.

O governo chegou a anunciar que anteciparia a segunda parcela do auxílio nesta quinta-feira (23), mas, na véspera, nesta quarta (22),

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário