Escolas de Samambaia terão “botão do pânico” em caso de violência



Dar notas para bom comportamento, revistar as mochilas de alunos e monitorar as escolas com mais registros de violência e tráfico de drogas. Essas são mudanças propostas pelo novo regimento em instituições de ensino a serem implementadas da Rede Pública de Samambaia e do Distrito Federal. Segundo o governo, as novas regras visam reforçar a disciplina e, principalmente, a segurança nos colégios brasilienses.


As unidades ainda terão um botão de alerta para chamar a polícia em caso de emergência, uma espécie de “botão do pânico”. Ainda estão previstos a inserção na grade de conteúdos educativos a fim de evitar o consumo de entorpecentes e combater a cultura de violência contra a mulher.


Histórico
Ao longo de 2019, uma série de episódios de violência abalou a rotina das escolas públicas no DF. Na segunda-feira (27/05/2019), um aluno de 15 anos esfaqueou um colega no Centro Educacional 2 de Taguatinga, popularmente conhecido como Centrão. Uma confusão no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 427, em Samambaia Norte, terminou com um PM jogando gás de pimenta e detendo um aluno.


Em 26 de abril, a briga de estudantes no Centro Educacional 07 de Ceilândia, uma das escolas militarizadas, acabou exigindo a intervenção de policiais militares. Na ação, os PMs imobilizaram e derrubaram um aluno. Outra cena de violência foi vista pela comunidade escolar do próprio CEF 25 de Ceilândia, no dia 25 de fevereiro. Um estudante agrediu um dos professores do colégio. Segundo a pasta da Educação, o aluno teria se “irritado” com uma resposta dada pelo docente.

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário