Polícia vai a presídio ouvir pais de crianças torturadas por tios



 Os pais de Sabrina de Jesus Cabral, 6 anos, morta após ser torturada com um pedaço de ferro, e das outras três crianças agredidas pelos tios em Planaltina de Goiás (GO) serão ouvidos pela Polícia Civil de Goiás (PCGO), nesta sexta-feira (31/05/2019). De acordo com o delegado responsável pelo caso, coordenador do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) do município goiano, Antônio Humberto Costa, os agentes pretendem ir aos dois presídios para realizar as oitivas dos tutores dos quatro irmãos.


“Também vamos ouvir todos os vizinhos e oficiar o caso aos conselhos tutelares e demais providências. Acreditamos que esse caso, terá desdobramentos. A Polícia Civil está empenhada e cumprirá o seu papel”, esclareceu Humberto Costa. Os pais das quatro crianças, Silvoney de Jesus dos Santos e Daniela de Jesus Cabral, foram presos por tráfico de drogas pela 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho), em fevereiro deste ano e desde então cumprem penas no regime fechado em presídios do Distrito Federal. Por conta da situação, os tios passaram a cuidar das crianças.
CARBONARO ADVOGADOS


Tortura
O delegado garantiu que os agressores não demonstraram arrependimento no momento do depoimento. Segundo a tia, Sabrina tentou se esconder debaixo da mesa e, mesmo assim, foi agredida com chutes na cabeça.
Outra menina, de 4 anos, estava internada no Hospital Santa Rita de Cássia, mas foi transferida nessa quinta (30/05/2019) para o Hospital Regional de Planaltina (HRP). Ela apresenta lesões antigas, como marcas de ferro de passar roupa e duas fraturas no braço. Os conselheiros tutelares contaram que as crianças comeram de forma desesperada ao chegar ao centro de saúde.
As outras duas crianças foram encaminhadas para um abrigo no município do Entorno após receberem alta médica. Segundo o vice-presidente do Conselho Tutelar, Antônio Freire, o corpo de Sabrina já foi liberado do Instituto de Medicina Legal (IML) e ainda não há confirmação sobre o velório e sepultamento.


Caso bárbaro
Sabrina de Jesus Cabral, de 6 anos, foi espancada antes de falecer. Após apanhar, a menina teria sido deixada ao relento. O irmão, de 8 anos, relatou que ela foi castigada com um vergalhão de ferro e um pedaço de madeira. Além de Sabrina, os tios maltratavam e agrediam outras três crianças: um menino de 8 anos, uma menina de 4, e outra de 1. Elas apresentavam sinais de violência que, segundo o delegado do caso, indicam prática de tortura.
O episódio trágico ocorreu no Setor Aeroporto, em Planaltina de Goiás, cidade no Entorno do Distrito Federal, a 65 quilômetros de Brasília. O maior de idade foi indiciado por tortura e homicídio qualificado. Já a adolescente, de 17 anos, responderá por ato infracional análogo aos delitos cometidos pelo namorado.
“Através da coloração das lesões, é possível ter uma ideia de quando elas foram praticadas. Isso é uma característica de tortura”, apontou Antônio Humberto. “Nós, que estamos acostumados a trabalhar com violência, achamos esse caso particularmente chocante. Uma violência absurda. Um fato animalesco. Uma selvageria sem precedentes”, completou.
Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário