Motorista de aplicativo morto em briga de trânsito ia se casar na segunda (15)




Movimentação na casa da família de Felype Anderson de Sousa (foto em destaque), 22 anos, no Itapoã, é intensa na manhã desta sexta-feira (12/4). O motorista de Uber foi assassinado na noite de quinta-feira (11), depois de uma briga de trânsito, na mesma região administrativa. Muito abalada, a mãe disse que o filho era muito trabalhador. Felype planejava se casar com a noiva, com que morava e se relacionava há seis anos, na próxima segunda (15).


Segundo a irmã do jovem, Rebeca Sousa, 19, estava tudo pronto para a cerimônia na Igreja Sara Nossa Terra. “Todo mundo gostava dele. Não merecia isso. Cuidava da gente como se fôssemos filhos dele”, afirmou a jovem.


O motorista de aplicativo foi morto com quatro tiros, por volta das 20h, na Entrequadra 45/46, na Avenida Comercial do Itapoã. A mãe está inconformada. “Meu filho era maravilhoso. Não bebia, não fumava. Muito amoroso. Não media esforços para ajudar as pessoas. Ele estava tão feliz. Nunca imaginei que isso fosse acontecer”, disse Maria Leidiane Mamédio de Sousa.
Felype trabalhava há dois anos como motorista de Uber. Batalhou para conseguir comprar o carro fazia corridas durante grande parte do dia.  “Ele estava realizado”, garantiu uma familiar, que preferiu não se identificar.


O segundo dos quatro filhos de Maria tratava a mãe com muito amor. “Dizia que queria trocar esta casa por uma chácara para mim, para eu sair da vida de cidade. Ele cresceu aqui”, relata Maria. “Era cheio de sonhos”, acrescenta.

O crimeDe acordo com a Polícia Civil, houve uma briga de trânsito e Felype acabou baleado pelas costas. A noiva estava com ele no carro. O suspeito dos disparos, segundo a ocorrência policial, seria Alessandro Guerreira Barros, 27, que está foragido.

Share on Google Plus

About CRIATIVO PUBLICIDADE

0 comentários:

Postar um comentário