Em busca da nota mil: confira dicas para mandar bem na redação do Enem

Mais de 5,5 milhões de candidatos têm, no próximo domingo (4), o desafio de buscar a sonhada nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio . A produção de texto é cobrada para que seja possível avaliar diversas competências do candidato como a argumentação, domínio da língua portuguesa, interpretação do enunciado, organização estrutural e outros pontos que podem ser decisivos. Confira abaixo algumas dicas para a redação do Enem 2018.
A nota da redação pode ser a salvação para muitas pessoas, pois tem peso maior do que as provas de alternativas. Ao mesmo tempo, por ser uma etapa fundamental, ela também é capaz de prejudicar seriamente o desempenho de quem não conseguir atingir uma nota acima de zero, daí a importância de conferir dicas para a redação do Enem  antes do dia da prova. 

No ano passado,  apenas 53 estudantes obtiveram a nota máxima na redação (24 a menos que em 2016), enquanto mais de 309 mil candidatos acabaram com nota zero por não terem atingido os requisitos básicos exigidos pelo Manual da Redação do Enem.
Por isso, além de saber todas as regras utilizadas para a correção do seu texto, o participante deve ter em mente que não se pode fugir do tema, copiar o texto motivador que vem com a prova, escrever menos do que o solicitado, não atender o tipo textual, escrever alguma parte desconectada do tema ou sugerir propostas que ferem os direitos humanos.
Outra dica que pode ajudar a treinar a escrita para o dia do exame é tentar escrever textos para os temas solicitados nas edições anteriores, desde 2009, e depois compará-la com as redações nota 10 daquele ano.
Em 2016, por exemplo, o tema foi “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”. “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” foi o tema em 2015. Já em 2014, os candidatos tiveram que discorrer sobre “Publicidade infantil em questão no Brasil” e “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”, em 2013.
No ano passado, o tema surpreendeu a quase todos: "Os desafios para a inclusão das pessoas com deficiência na sociedade".
Utilizar contexto histórico para tratar dos assuntos também é um ponto muito importante para melhorar o desempenho. Segundo a professora de redação Fabiana Freitas, do projeto de pré-vestibular Bora Vencer, do Governo de Brasília, ter em mente a estrutura social brasileira e vincular os fatos novos ao processo histórico são pontos fundamentais para um texto bem escrito.
“O Enem gosta que o aluno perceba que o que existe hoje possui uma raiz histórica. O estudante deve, principalmente, manter-se atualizado no que diz respeito aos direitos das minorias sociais e à Constituição”, afirma ela.
O vocabulário é outro ponto a ser levado em consideração. Não é permitido gírias, mas também não é preciso usar termos que sejam de difícil entendimento ou rebuscados demais.
Um jeito de driblar o tempo, que para muitos é um vilão na hora de escrever, é fazer um texto com as ideias já organizadas previamente. “Aprender a discorrer no texto tendo tópicos como base. Qual vou colocar na introdução? E na argumentação? Assim, o rascunho pode ser elaborado em tópicos e, na hora de passar o texto a limpo, o aluno tem mais facilidade de desenvolver”, conclui Fabiana.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário