Dona de casa é morta com três facadas na frente da irmã e dos filhos


A dona de casa Júlia Inácio de Alvim, de 44 anos, foi morta com três facadas na frente da irmã e de três filhos no Itapoã, no Distrito Federal, na noite desta quarta-feira (10). Ela foi a 23ª vítima de feminicídio no DF neste ano. O crime ocorreu por volta das 19h30, no Dia Nacional de Luta Contra Violência à Mulher.
O principal suspeito é o ex-marido, o flanelinha Orlando Souza Alves, de 61 anos. Parentes disseram que ele estava bêbado, e quando saiu de casa, foi espancado por moradores. Ele está internado no Hospital de Base com traumatismo craniano.
O casal teve oito filhos – um deles, de 7 anos, presenciou o crime. Eles estavam separados havia dez anos. No entanto, de acordo com a família, o ex-marido sempre tentava se reaproximar.
“Quando ele bebia, era violento para cima da minha mãe e para cima dos meus irmãos também. Já sofremos muito na mão dele”, afirmou outro filho da vítima, Fernando de Alvim Alves, de 27 anos.
Ainda de acordo com os parentes, o homem já tinha agredido Maria Júlia outras vezes e ameaçado de morte. “Bateu nela, espancou, já tentou enforcar”, afirmou Jane Cleia Lopes, irmã da vítima, que nunca chegou a registrar boletim de ocorrência.
Passagens
De acordo com a polícia, Orlando tem passagens por ameaça e tentativa de homicídio contra uma idosa em 2010. Agora, ele vai responder pelo feminicídio.
“É considerado feminicídio porque ele tratou a sua ex-companheira de forma a subjulgá-la na condição de mulher. A diminuí-la nessa condição”, disse o delegado de plantão Pedro Koenigsdorf.
A pena prevista é de 12 a 30 anos de prisão, por ser considerado crime hediondo. Não é permitida fiança e a progressão de pena é mais rigorosa.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário