Botijão de gás fica 3,9% mais caro a partir desta segunda-feira


O preço do botijão de gás vai sofrer aumento de 3,9% a partir desta segunda-feira (24) no Distrito Federal. Segundo as revendedoras, o motivo é para compensar gastos com o reajuste salarial dado a quem trabalha na distribuição, sempre em setembro.
De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, que fiscaliza o setor, o preço do botijão variou praticamente todos os meses, de janeiro até julho. Passou de R$ 69,15 para R$ 72,88. Atualmente o preço médio continua girando em cerca de R$ 70.
Para o sindicato que representa as distribuidoras, os aumentos impactam as vendas. Segundo a entidade, desde 2017, pelo menos cem lojas que vendem o gás de cozinha fecharam.
“As nossas revendas tiveram muita dificuldade de gerenciar esses aumentos consecutivos e repassar ao consumidor”, afirmou o presidente do sindicato, Sérgio Costa.
“Consequentemente, muitas empresas fecharam e outras passaram pra informalidade. No ano passado tínhamos uma média de 460 revendas. No último mês fizemos um balanço. Temos apenas 352.”
O lavrador Givaldo Reis disse sentir o peso dos aumentos no bolso. “A gente já não tem condições. Vai comprar um botijão de gás de R$ 79, que custou R$ 55. Hoje é R$ 70. Me diz onde a gente vai parar numa situação dessa?”, questionou.
Na casa da operadora de telemarketing Núbia Rodrigues, moram quatro pessoas – sem contar no bebê que está chegando. O café coado é feito duas vezes ao dia e o gás dura pouco mais de um mês. Ela contou que o novo aumento vai apertar mais uma vez o orçamento da família.
“Atualmente, com o gasto fixo mensal da casa, o gás de cozinha acaba consumindo 10% do gasto total. Então, com esse aumento certamente vamos ter que enxugar mais um pouquinho de lá, um pouquinho daqui pra conseguir manter o consumo e tentar economizar um pouco mais.”
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário