Travesti que destruiu carros usará tornozeleira eletrônica

A Justiça do Distrito Federal colocou a travesti que destruiu um carro no Riacho Fundo em monitoramento eletrônico. A decisão da magistrada saiu após audiência realizada nesta quarta-feira, (15).  A travesti ainda precisa pagar fiança de R$ 1 mil  para ter direito à liberdade provisória.
De acordo com a juíza, ela foi autuada pela prática dos crimes de dano, resistência à prisão, desobediência a ordem policial e desacato. Após examinar os autos, a magistrada confirmou que não ocorreu irregularidade na prisão em flagrante que pudesse gerar seu relaxamento. Ainda de acordo com a decisão, a travesti fica proibida de se ausentar do DF.
Devido à prisão em flagrante foi instaurado um procedimento criminal para apuração dos fatos.
Entenda o caso
Na tarde de terça-feira (14), a travesti foi flagrada destruindo um carro com uma barra de ferro próximo ao Riacho Fundo I. Populares que passavam pela região e presenciaram a cena registraram vídeos da troca de agressões com policiais militares que tentavam controlar a situação.
Nas imagens é possível ver a travesti agredir um PM com chutes após ser contida. Outro PM reage às agressões e dá um “mata-leão” nela, que é colocada à força no camburão. No interior do veículo, a travesti chuta os vidros da viatura. Um outro vídeo mostra o momento em que policiais jogam spray de pimenta para contê-la.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário