Novos ônibus que passam pela EPTG devem ter portas dos dois lados

Após quase oito anos, finalmente as faixas exclusivas da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) têm previsão de funcionar adequadamente. A expectativa é de que ônibus apropriados ao corredor passem a circular a partir do próximo ano.
Portaria publicada no Diário Oficial do DF nesta segunda-feira (16) obriga as empresas de ônibus que circulam pela EPTG a adquirir prioritariamente veículos com portas de ambos os lados. Os coletivos também devem ter motor traseiro ou central e piso baixo, nos termos da legislação em vigor, conforme foi projetado.
“As paradas são em lado contrário, por isso é indispensável que os ônibus tenham duas portas. Além disso, a compra dos novos veículos é obrigatória para todas as empresas”, afirma a Secretaria de Mobilidade, via assessoria de imprensa. A pasta reforça que a expectativa é de que os coletivos comecem a operar a partir do próximo ano.
Procurada, a Associação das Empresas Brasilienses de Transporte Urbano de Passageiro (Abratup) preferiu não se manifestar.
Inauguração
A ampliação da EPTG  foi considerada concluída em setembro de 2010, após longa espera, deixando de lado parte do projeto inicial. Além de agregar mais uma faixa às três existentes em cada sentido, o projeto incluiu a construção de duas vias auxiliares (marginais), com duas faixas cada.
Também na EPTG, a primeira grande mudança na estrutura viária no DF dentro do programa Brasília Integrada, o viaduto Israel Pinheiro levou 14 meses para ficar pronto e custou R$ 21 milhões, segundo GDF. A obra beneficiou, principalmente, moradores de Vicente Pires, Águas Claras, Arniqueiras, Estrutural e Taguatinga.
Só na promessa
Além da EPTG, na época faziam parte do Brasília Integrada o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que ligaria o Aeroporto à W3 Sul, e a construção da Via Interbairros, paralela à EPTG. Essas obras, porém, não saíram do papel.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário