Abertura da Copa destaca relevância da Rússia no esporte


A Rússia está oficialmente de volta ao calendário esportivo das grandes competições. Antes do pontapé inicial para a partida desta quinta-feira (14) entre os donos da casa e os sauditas, a cerimônia de abertura da Copa do Mundo não foi das mais emocionantes no Estádio Luzhniki, mas relembrou ao mundo a relevância desse país também além das quatro linhas.
O ex-jogador Ronaldo Fenômeno e o goleiro Iker Casillas foram os boleiros que participaram da festa. O primeiro bateu bola com a mascote Zabivaka e o segundo carregou o troféu de campeão. O Rei Pelé, mais uma vez, esteve ausente da cerimônia de abertura.
Entre as personalidades, a supermodelo Natalia Vodianova e os músicos Yuri Bashmet e Daniil Trifonov participaram da festa com músicas ao som de piano e violino, mas que não interagiram com a arquibancada. O som ficou mesmo por conta de Robbie Williams. O astro internacional cantou a música tema da Rússia 2018 e o sucesso “Let me entertain you”. O cantor britânico ainda fez um dueto com a soprano russa Aida Garifullina.
O show assinado pelo diretor Ilya Averbukh, ex-patinador artístico, durou 15 minutos e contou com a participação de cerca de 800 pessoas. Ao contrário do que sempre se teme, não prejudicou a qualidade do gramado para a partida inaugural que teve o protocolo de entrada iniciado logo em seguida. O presidente Vladimir Putin foi ovacionado no estádio e classificou o futebol como "esporte mais apaixonante".
A Rússia havia sediado há quatro anos os Jogos Olímpicos de Inverno. Apesar da importância, o evento do COI (Comitê Olímpico Internacional) ainda é bastante restrito, por um fator claro: em muito depende de gelo e neve. Na mesma Sochi, litorânea, ensolarada e que hoje abriga a seleção brasileira, acontece anualmente o GP de Fórmula 1. Todos longe de ser uma Copa do Mundo.
O que fica na memória então são os Jogos Olímpicos de Moscou 1980. Mesmo quem não viveu aquela época, certamente lembra com carinho do simpático ursinho Misha, que inclusive chorou em um mosaico nas arquibancadas.
A julgar pelos primeiros 15 minutos da Copa do Mundo, a Rússia, como se precisasse, se reapresentou ao Ocidente e voltou para o cenário esportivo internacional.

FONTE R7
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário