Celular furtado de padre no Riacho Fundo foi usado para pagar aluguel em Samambaia


O celular furtado na Paróquia Nossa Senhora do Santo Cinto, no Riacho Fundo I, foi utilizado como garantia de pagamento do aluguel de uma quitinete, em Samambaia Sul. O homem que levou o telefone do padre Flávio Moreira durante a missa, no último domingo, foi encontrado pela polícia após denúncias de funcionários de um albergue próximo à 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), onde estava abrigado.
Ele responderá em liberdade, já que não há mais o flagrante. Carlos Eduardo Soares de Souza, 42 anos, alegou que está desempregado e foi expulso de casa, junto à esposa, por seus familiares. O casal sofre de uma doença infecciosa. Carlos confessou o crime e explicou à Polícia Civil que estava na missa, quando resolveu ir ao banheiro e se deparou com o celular da vítima dentro da sacristia.
Segundo o delegado da 21ª DP, Raimundo Vanderly Alves de Melo, a equipe de plantão recebeu nesta quarta-feira (11) a denúncia de que o suspeito estaria no albergue do Areal. Os agentes foram até o local e encontraram o homem, que acabou confessando a autoria do crime.
Aos policiais, ele revelou que o aparelho celular furtado estaria com a proprietária do imóvel que acabara de alugar em Samambaia, como forma de garantia de pagamento. A polícia encontrou a mulher, que devolveu o celular. O aparelho já voltou para as mãos do padre Flávio Moreira. Carlos responderá em liberdade: “A situação de flagrante não existe mais.
Foi instaurado inquérito e o autor do furto será indiciado pelo crime de furto qualificado. Assim que o inquérito for finalizado, será encaminhado à Justiça e, enquanto isso, ele aguardará em liberdade”, explica o delegado Raimundo Vanderly. O homem não tem passagens pela polícia e, se condenado, poderá cumprir até cinco anos de reclusão.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário