Após gritos de incentivo, jovem pula de ponte e morre

A Delegacia de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, vai investigar o caso de um adolescente de 17 anos que se jogou de uma passarelana BR-116, na manhã de ontem (6). A situação foi registrada por diversas pessoas e a suspeita é que algumas tenham cometido o crime de instigar o suicídio.

Corpo de Bombeiros foi acionado até o local e iniciou uma negociação para que o jovem descesse. Diversas pessoas passaram a acompanhar o trabalho dos bombeiros.

Depois de cerca de 50 minutos, o garoto esboçou a vontade de descer do local, que possui altura de pouco mais de seis metros, segundo os bombeiros. No entanto, um coral de ‘pula, pula’ encorajou o jovem, que abriu os braços e se jogou.

O garoto, que não terá o nome revelado, foi socorrido com vida ao Hospital do Trabalhador, mas devido aos ferimentos graves faleceu horas depois. O corpo dele foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML).

O inquérito sobre a morte do adolescente está com a Polícia Civil do município. Não há dúvidas quanto ao suicídio, já que o garoto deixou uma extensa carta, que veio a público horas depois. As investigações discorrem sobre a atitude de indução ao suicídio.


Segundo o decreto de lei nº 2.848/1940, induzir ou instigar alguém a se suicidar ou prestar auxílio para que a pessoa faça gera uma pena, que vai de dois a seis anos de prisão, se o suicídio se consuma.

Os vídeos que circulam pelas redes sociais desde o início da tarde de ontem poderão auxiliar a polícia na identificação deles.

Ainda na internet, o caso repercutiu e gerou revolta pela atitude dos populares que testemunharam o episódio. “Brasil de um povo sanguinário, muito bem representado nos políticos que elege”, desabafou um internauta.

“As pessoas gostam de ver a miséria alheia, imaginem se fosse um familiar, será que incentivariam o suicídio? Triste a nossa realidade”, lamentou outro.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário