Homem morto por PM será sepultado em Salvador; síndica revela discussões anteriores

O corpo do analista de sistemas do Banco do Brasil morto em briga de vizinhos em Samambaia na noite de quinta-feira (7) será enterrado em Salvador. Adilson Santana, 36 anos, foi alvejado no tórax por um policial militar reformado após uma discussão pelo Whatsapp. Câmeras de segurança mostram o momento em que o suspeito sai correndo do elevador para o carro. Ele ainda está foragido.

Segundo testemunhas, houve troca de ofensas e provocações. “O policial subiu armado e teria sido recebido por socos. As esposas dos dois tentaram evitar a tragédia, trancando a porta e pedindo calma”, conta a síndica. Dez minutos depois do acontecido, Adilson já não tinha sinais vitais. Os bombeiros tentaram reanimá-lo por 45 minutos.
A família da vítima esteve no apartamento na manhã desta sexta-feira (8) para limpar e retirar objetos pessoais. O corpo deve ser levado para a capital baiana. A esposa e o bebê de Adilson estão na casa de parentes. “Ele era um típico baiano alegre e tranquilo, bastante participativo. É lamentável o que aconteceu. A gente jamais esperava que algo assim acontecesse ou uma reação dessas de um policial, que deveria ter mais preparo”, desabafa a síndica.
Fuga
A Polícia Civil realizou perícia no apartamento horas após o crime. Na manhã de sexta-feira, agentes buscaram imagens das câmeras de segurança que gravaram a fuga do suspeito. “Ele correu no sentido contrário a vaga. Ficou por cerca de um minuto atrás de uma pilastra, onde as câmeras não pegam. Depois foi para o carro e saiu”, descreve Sandra Martins. Nada foi encontrado no local onde ele ficou parado. A 26ª Delegacia de Polícia Civil, em Samambaia, investiga o caso.


Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário