Será que a “Barriga de cerveja” realmente existe?

Quem nunca ouviu a expressão “barriguinha de chopp” utilizada para definir a forma física de algumas pessoas? Ainda assim, fica difícil resistir à cervejinha gelada do happy hour e do final de semana, não é mesmo?!
O acúmulo de gordura na área da cintura já virou sinônimo de “barriga de cerveja” e esta é apontada como principal causadora da saliência. Já parou pra pensar que nem sempre a culpa só dela?

Há uma série de hábitos que podem transformar a barriga protuberante. Qualquer tipo de calorias, seja a partir de álcool, açúcar ou grandes porções de alimentos pode aumentar a gordura abdominal. No entanto, o álcool parece ter uma associação direta com essa gordura.

As bebidas alcoólicas, como a cerveja, contêm álcool que fornece bastante calorias e, além disso, o exagero na bebida piora a situação, já que é raro alguém que tome apenas um copinho de cerveja ou chopp. Quando você bebe álcool, o fígado queima o álcool em vez de gordura, é como se ele fornecesse “calorias vazias”, sem nutrientes. Assim, a ingestão da bebida pode levar ao aumento da produção e acúmulo de gordura na região abdominal.
Geralmente uma cerveja normal tem 150 calorias e se você é daqueles que “desce várias de uma só vez”, pode acabar com uma sobrecarga grave de calorias e vale lembrar ainda que a cerveja é consumida, quase sempre, acompanhada de um petisco, como amendoim, linguiça calabresa, azeitonas, que elevam ainda mais o teor calórico, favorecendo o acréscimo de alguns quilinhos na balança. Portanto, para manter o peso e evitar uma barriguinha indesejada sem abrir mão da cerveja, é preciso beber com moderação.

Nutricionista Déborah Santana.
Share on Google Plus

About Criativo Publicidade

0 comentários:

Postar um comentário